Semana Santa movimenta comércio de Peixes no Município

29/03/2018

 

 

 

Chegada a Semana Santa, a procura por um dos produtos mais tradicionais da época, movimenta o comércio e possibilita a conquista de renda extra para muitos produtores do Município. Trata-se da piscicultura.

Durante a semana que antecede a Páscoa a comercialização de peixe vivo ganha destaque e algumas ações visam incentivar a venda para os consumidores que mantém a cada ano, a tradição do consumo da carne branca(carne de peixe).

Conforme a Emater/RS-Ascar de Palmitinho, a piscicultura está presente em cerca de 72 propriedades do Município e se apresenta como uma alternativa de renda extra para estas famílias. Atualmente são 132 viveiros com produção ativa nestas propriedades.

De acordo com o Extensionista Rural da Emater, Luan Jaques da Costa, um levantamento realizado pela equipe da Emater mostra que o Município produziu cerca de 18,6 toneladas de peixe em 2017. São peixes de diversas espécies, sendo que as principais são: carpa capim, carpa húngara, carpa prateada, carpa cabeça grande e pacu. Outra espécie que é cultivada é a Tilápia, na forma de filé, salienta o Técnico.

Ele destaca que apesar da produção em dezenas de propriedades, os produtores que trabalham num sistema mais semi-extensivo, com uso de ração representam um total de 12, sendo a atividade incentivada pela Emater. “A Emater incentiva a atividade da piscicultura como alternativa de renda na propriedade, realizamos no último ano 27 açudes para produção de peixe beneficiando 17 agricultores, realizamos visitas de acompanhamento a piscicultores que tem interesse e damos toda a assistência”, salienta.

 

 

 

Propriedade da Linha Santo Antônio tem produção estimada em 15 mil quilos

O produtor Aires Luza, na Linha Santo Antônio, tem uma das maiores estruturas voltadas a piscicultura na região. O produtor espera uma

 

produção de cerca de 15 toneladas neste ano em seus dois açudes.

Conforme ele, a propriedade conta com grande estrutura que antes era usada para lazer, mas a cerca de três anos houve uma mudança de rumo com a realização de investimentos que tornaram a mesma uma das principais da região.

Hoje o produtor acompanha a atividade, mas devido ao trabalho no serviço público, a maior parte das tarefas fica com os parceiros de produção, Aldoir Verdi, Ana da Rosa Verdi e Rafael Tranquilo. Estes são responsáveis pela alimentação dos alevinos desde a chegada a propriedade. 

 Rafael destaca o envolvimento necessário para que a produção seja satisfatória. Ele salienta que para chegar ao patamar atual foi necessária muita pesquisa e uma constante busca de ajuda de especialistas da piscicultura para ampliar a produção.  O produtor relata que para se obter um bom resultado é preciso ter cuidado com um conjunto de fatores que passa pela boa qualidade dos alevinos até uma boa alimentação e uma água adequada para a produção.

Hoje a propriedade conta com uma serie de equipamentos que vai desde aeradores para garantir uma oxigenação adequada da água, tanques de engorda, até tratores, barcos, bombas para secagem dos açudes e iluminação trifásica que permite o trabalho noturno e um melhor acompanhamento da atividade.

Os produtores optaram pela produção de tilápia, além de pacu e jundiá, devido à possibilidade de uma maior produção. A propriedade conta com toda a estrutura de refrigeração para garantir a qualidade e a temperatura adequada, conforme as exigências sanitárias. De acordo com Luza, um dos momentos mais esperados é a retirada dos animais dos açudes, momento este em que é possível visualizar os mesmos e comemorar os resultados obtidos após meses de cuidados.

Conforme ele, a produção é comercializada diretamente aos consumidores, pois segundo o mesmo, há uma serie de burocracias que impedem a comercialização para mercados e para outros tipos de clientes.

Em média as tilápias apresentam peso entre 500 e 800g, já os pacus e os jundiás apresentam peso bem maior. Conforme os produtores, neste ano, os maiores peixes retirados dos açudes foram um pacu com 9,7Kg e um jundiá de 7,4kg. O produtor salienta que a comercialização é realizada diretamente na propriedade, onde os interessados podem procurar pelo produto.

Compartilhar no Facebook
Share on Twitter
Please reload

A reprodução de todo o conteúdo deste site é autorizada mediante indicação de fonte

Vitrine do Povo - CNPJ 33.306.787/0001-73