ESPAÇO ABERTO

29/02/2020

Desafio

 

Como já é de conhecimento de todos, desde novembro de 2019 estou à frente da 16ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), de Lajeado, como coordenador substituto. Confesso que estou diante do maior desafio profissional que já me foi proposto. Com muita coragem, humildade e vontade de aprender estamos desenvolvendo diversas ações que visam o amplo atendimento da população aqui do Vale do Taquari pelos serviços do SUS. Em momento de muitas transformações no campo administrativo do Estado e de grande dificuldade financeira, não está sendo fácil ampliar os atendimentos sem dinheiro novo no orçamento. Redimensionar os custos e gerenciar os recursos com eficiência é nossa missão. Não somos denominadores de despesas, mas nosso serviço, enquanto coordenadores de saúde, é monitorar a verdadeira execução dos serviços de atendimento de saúde à população pelo SUS, nos estabelecimentos prestadores.

 

Coronavírus

 

Estamos diante de uma epidemia mundial. Na China passam de mil pessoas mortas por causa do coronavírus. Hospedado originalmente em animais, contagiou humanos após ingerirem a carne de seres exóticos, costume do povo chinês e de países asiáticos.  A doença vem se alastrando pelo mundo a fora e possivelmente entrará no Brasil neste inverno.

 

Consequências

 

O coronavírus, agora no início, está matando menos de 3% dos infectados. Em 2009 a H1N1 matou mais de 6% dos que contraíram a doença. Estes números são apenas pessoas diagnosticadas. Portanto não precisa se preocupar? Negativo. A vigilância e a prevenção são fundamentais. É importante lembrar que ainda não existe nenhum tipo de remédio contra coronavírus. Os pacientes apenas entram em período de isolamento e recebem medicação estabilizante para amenizar os efeitos durante o ciclo da doença. Pessoas mais vulneráveis, principalmente quem sofrem de doenças respiratórias pulmonares, são as principais vítimas.

 

Contágio

 

As formas de transmissão do vírus de pessoa para pessoa são as mesmas de outras doenças respiratórias. A contaminação se dá pelo ar. É possível contrair o vírus ao respirar o ar contaminado de pessoas infectadas ou ter contato com esses pacientes. Em alguns casos a doença nem se manifestou e a pessoa já está transmitindo.

 

Cuidados

 

Evitar veementemente o contato com pessoas que voltaram da China a partir do mês de janeiro deste ano. Os métodos preventivos básicos para outras doenças como a influenza são os mesmos adotados no coronavírus. Lavar bem as mãos e usar álcool gel, não ficar perto de quem espirra ou tosse e usar máscaras em ambientes fechados auxiliam na proteção.

 

Procedimentos

 

A pessoa que teve qualquer relação com alguém que veio da China ou de outro país atacado pela epidemia deverá passar por período de quarentena, por 18 dias, antes de se relacionar normalmente com a população brasileira.

 

Fluxo

 

Se essa pessoa que teve qualquer contato com regiões da doença começar a apresentar sintomas de gripe é importante que seja imediatamente encaminhada à unidade de saúde do seu município. Lá haverá uma equipe devidamente treinada para coletar amostras de sangue e encaminhar para o Laboratório Central de Porto Alegre que fará os testes necessários para identificar qual é o vírus. Em caso de coronavírus a amostra ainda vai para a Fiocruz em São Paulo para confirmação. Este processo demora no máximo três dias. Neste período o cidadão deve permanecer em isolamento doméstico se os sintomas forem leves. Em casos graves será encaminhado a uma UTI de referência de sua região devidamente preparada. Na Zona da Produção a 19 ª Coordenadoria Regional de Saúde está monitorando e capacitando os profissionais para atenderem os pacientes caso a doença chegue.

 

Desespero

 

Não há motivo para pânico. Os cuidados preventivos de vigilância que vêm sendo tomados pelo Ministério da Saúde e pela Secretaria Estadual da Saúde são de extrema importância para que, no inverno deste ano, período que acredita-se que surgirão casos, todos saibam lidar e enfrentar este vírus.

 

Lembre-se

 

A influenza H1N1, a dengue, o chikungunya, a rubéola e o sarampo matam muito mais que o coronavírus. E só para alertar que estes vírus já circulam pelo nosso ambiente há muito tempo e estamos enfrentando no momento um surto nacional dessas doenças altamente contagiosas. Sendo assim os cuidados preventivos devem ser intensificados. No dia 10 de fevereiro iniciou mais uma etapa da campanha de vacinação contra o sarampo. Procure a unidade de saúde mais próxima e busque a sua imunização e de sua família.

 

Obrigado pela leitura. Saúde e paz a todos!

 

 

 

Compartilhar no Facebook
Share on Twitter
Please reload

A reprodução de todo o conteúdo deste site é autorizada mediante indicação de fonte

Vitrine do Povo - CNPJ 33.306.787/0001-73