Sobe para 14 os casos de Dengue confirmados em Palmitinho



Subiu para 14 o número de casos confirmados de Dengue, em Palmitinho. Os números foram atualizados nesta quinta-feira(02), pela Secretaria Municipal de Saúde e Assistência Social de Palmitinho.


O novo Boletim Epideomológico aponta 14 casos confirmados e outros 25 que aguardam resultado de amostra enviada ao Laboratório Central do Estado(Lacen), sendo que novos casos podem ser confirmados a qualquer momento.


Diante do quadro de epidemia, a Secretaria Municipal de Saúde realizou um mutirão de limpeza nas áreas mais afetadas do Município. A atividade ocorreu entre a quarta-feira(1º) e a sexta-feira(04), reforçando o pedido para os cuidados necessários em relação à transmissão da doença, através do mosquito Aedes Aegypti. O pedido é para que os moradores recolham lixos e matérias para que equipes da Prefeitura Municipal façam o recolhimento e o descarte dos mesmos.


Os primeiros casos de dengue foram confirmados no dia 21 de fevereiro, mas aumentaram significativamente ao longo dos últimos dias. A Secretária Municipal de Saúde, Cleusa Danete de Cezaro, pede a comunidade para que elimine qualquer local onde o mosquito tenha condições de se proliferar, principalmente com a remoção de recipientes, caixas d àgua, ou objetos em geral com água parada, em quintais ou terrenos baldios.


Com as recentes chuvas isoladas, a umidade aumenta em um cenário propício para a desova das larvas do mosquito. Conforme o Responsável pelo Coordenador de Campo da 19ª CRS, João Roberto Dorneles, em recente entrevista na CULTURA FM, “estando contaminado, um mesmo mosquito pode transmitir a dengue para mais de 50 pessoas, o que exige cuidado redobrado e ações emergenciais para eliminar os insetos transmissores já contaminados”, relatou.


Um outro alerta das autoridades de saúde é sobre os cuidados com os mosquitos contaminados que já circulam no município. Neste caso o uso de repelentes e roupas longas é de extrema importância para evitar a picada do mosquito contaminado. Os pesquisadores constataram também que os horários dos ataques acontecem entre 7h30 e 10h e entre 15h30 e 19h. O Aedes Aegypti não gosta de muito de calor e, por isso, se esconde nas horas mais quentes do dia.




Dejair de Castro

Jornalista – MTB 16.952