Governo deve ampliar testagem de Covid-19 e não descarta medidas mais restritivas no RS

03/07/2020

O governo gaúcho ampliará a capacidade de testagem diária por RT-PCR, o exame que identifica o coronavírus no período em que está ativo no organismo. Com apoio do programa Todos pela Saúde, que já doou ao Rio Grande do Sul cinco respiradores e milhares de equipamentos de proteção individual (EPIs), o Estado fará mais 3 mil novos testes diários entre julho e agosto. Assim, chegará a 4 mil porque atualmente são realizados cerca de mil testes por dia pelo Laboratório Central do Estado (Lacen) – de 350 a 400 – e por três universidades federais: do Rio Grande do Sul (UFRGS), de Santa Maria (UFSM) e de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA).

 

O fornecimento de insumos para os novos testes resulta de uma parceria com o Ministério da Saúde e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). “Agradecemos a parceria do Todos pela Saúde, que já fez uma importante doação ao Estado e ainda planeja doar outros 20 respiradores. Sempre digo que é a sociedade, e não o governo sozinho, que vencerá essa crise e que superará esse momento de pandemia”, reforçou o governador Eduardo Leite, em transmissão ao vivo pelas redes sociais nesta quinta-feira (2/7).

 

O teste RT-PCR analisa amostras retiradas da cavidade nasal e de orofaringe. A apuração é mais demorada, em torno de 24 horas. O teste rápido, por sua vez, detecta anticorpos no organismo, ou seja, revela que a pessoa já teve o vírus e está teoricamente curada. O resultado é obtido em cerca de 15 minutos depois.

 

“A ampliação da testagem se torna fundamental no contexto atual de evolução da pandemia para que possamos identificar de forma precoce quem está contaminado pelo coronavírus e, assim, possamos isolar essas pessoas. Isso pode reduzir substancialmente a transmissão do vírus e conter o crescimento da curva epidêmica”, explicou a secretária da Saúde, Arita Bergmann.

 

A primeira etapa da ampliação começa na segunda quinzena de julho, com mil novos testes diários aplicados em todos os trabalhadores e residentes de instituições de longa permanência para idosos (ILPIs), sintomáticos ou assintomáticos, a partir do primeiro caso confirmado para Covid-19.

 

O segundo grupo a ser testado envolve todos os trabalhadores de estabelecimentos de saúde, sintomáticos ou assintomáticos. Seguindo a mesma regra do primeiro, assim que houver um caso confirmado no estabelecimento, todos os trabalhadores deverão ser testados, incluindo contactantes (pessoas próximas que tiveram contato).

 

O terceiro grupo envolve a testagem, de forma gradativa, de todos os que apresentem sintomas de síndrome gripal. Na primeira etapa, entrarão os moradores da Região Metropolitana, da Serra e do Norte, regiões consideradas mais críticas no momento.

 

A segunda etapa da ampliação, cuja previsão de início é agosto, acrescentará as pessoas com síndrome gripal que residem nas outras regiões do Estado e um quarto grupo, no qual estão inseridos contactantes de casos confirmados para Covid-19 por RT-PCR, rastreados por meio do aplicativo Dados do Bem, desenvolvido para o programa Todos pela Saúde. O app identifica e rastreia pessoas próximas aos casos positivos.

 

Para a primeira etapa, serão necessários mil kits de insumos por dia, totalizando 20 mil kits de coleta. Para a segunda, é preciso 3 mil kits diários, chegando a 180 mil kits de coleta.

 

A fim de dar conta dessa ampliação de amostras diárias, haverá quatro polos regionais para recebimento do material, além do Lacen. Com auxílio das 19 Coordenadorias Regionais de Saúde, as amostras serão transportadas até o laboratório, em Porto Alegre, onde ocorrerá a embalagem e o recolhimento pelo programa.

Haverá diariamente transporte aéreo das caixas com as amostras, sob responsabilidade do Todos pela Saúde, para realização dos testes em um laboratório de Curitiba (PR). Também poderão ser usados laboratórios do Rio de Janeiro e de São Paulo.

 

PRIMEIRA ETAPA
Segunda quinzena de julho

1º grupo de testagem: todos os trabalhadores e residentes de instituição de longa permanência para idosos (ILPIs), sintomáticos ou assintomáticos, a partir da confirmação do primeiro caso.

2º grupo de testagem: todos os trabalhadores de estabelecimentos de saúde, sintomáticos ou assintomáticos, a partir da confirmação de algum caso, incluindo contactantes.

3º grupo de testagem: todas as pessoas que apresentarem sintomas de síndrome gripal (febre, tosse, coriza, sintomas respiratórios, dores musculares, perda do paladar ou olfato) residentes na Região Metropolitana, no Norte e na Serra.

 

SEGUNDA ETAPA
Início de agosto

4º grupo: todas as pessoas que apresentarem sintomas de síndrome gripal (febre, tosse, coriza, sintomas respiratórios, dores musculares, perda do paladar ou olfato) residentes nas outras regiões do Estado e contactantes próximos dos casos confirmados de Covid-19 rastreados por meio do aplicativo Dados do Bem.

 

 

Fonte: Portal/RS

Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini

Compartilhar no Facebook
Share on Twitter
Please reload

A reprodução de todo o conteúdo deste site é autorizada mediante indicação de fonte

Vitrine do Povo - CNPJ 33.306.787/0001-73