PAI: Aquele que ama, orienta, acolhe e protege

09/08/2020

 

 

 

“Às vezes o homem mais pobre deixa a seus filhos a herança mais rica: o amor”. A frase escrita por Ruth Renkel resume a importância do Pai, símbolo de amor, cuidado e proteção.

 

Comemorado no segundo domingo do mês de agosto, o Dia dos Pais, mais do que uma data comemorativa, é a oportunidade de celebrar aquele que ama, orienta, acolhe e apoia independente da situação. E para expressar todo o carinho e amor pelas figuras paternas de cada família, o VP preparou uma reportagem especial com um dos pais de nossa comunidade que é exemplo de amor e dedicação pelos filhos e pela família.

 

Oriundo de uma família pobre da Linha Braguinha, interior de Palmitinho, onde teve uma infância de muitos desafios, o hoje empresário Jocemino de Souza(Joce), representa o exemplo de pai, tanto na formação pessoal como na formação profissional dos filhos.

 

Essa história de vida tem início a cerca de 60 anos atrás, na Linha Braguinha, interior de Palmitinho, mas em grande parte foi vivida em Pinheirinho do Vale, e mais tarde na cidade de Palmitinho, onde situa-se a Agropecuária do Joce, empresa da família. Do casamento com a esposa, Lídia Albarello de Souza, nasceram os 3 filhos do casal: Jorge Alan de Souza(40), Quielen Rosa Souza Albarello(36) e Thianan Ricardo de Souza(30).

 

Conforme Joce, uma das grandes responsabilidades de um pai é dar condições para a formação dos filhos e transmitir os ensinamentos e os valores de vida, e essa responsabilidade foi seguida a risca pelo casal. Hoje todos os filhos estão formados na faculdade, após muita dedicação ao longo de anos de estudos. “Para a gente chegar até aqui não foi nada fácil, deu muito trabalho, mas graças a Deus e a companhia da Lídia, a gente conseguiu conduzir eles para que eles pudessem, hoje, desempenhar bem as funções que escolheram,” destaca.

 

Os filhos Jorge Alan e Thianan cursaram Medicina enquanto que a filha Quielen optou pelo Magistério. Emocionado, Joce relembrou das dificuldades encontradas para conseguir manter os filhos na faculdade, mas diz que faria tudo de novo, pois se sente com a sensação de dever cumprido. “A obrigação que um pai tem é dar o que os filhos precisam e eu faria tudo de novo. Para mim não precisa mais nada, quero só viver, agradecer a Deus e contemplar essas alegrias que foram conquistadas,” relata.

Além do estudo, a educação, a religiosidade e a humildade também foram transmitidas aos descendentes, bem como o amor pela música e pelo futebol. O Pai lembra que os filhos sempre foram atuantes nos movimentos da igreja, sendo isso uma base muito importante. A família é de violeiros, a filha Quielen ministra aulas de violão para crianças, Jorge Alan e Thianan também seguiram os dotes do Pai, dominando a arte de tocar violão. Outra peculiaridade é o time preferido, pois todos os filhos são torcedores do Internacional.

 

Ao lembrar das netas, Helena, Estella e Manuela, Joce disse estar realizado como Pai e também como avô. Aos pais, ele fala da importância de acompanhar os filhos, procurando transmitir humildade e bons ensinamentos para os mesmos.

 

 

Foto: Arquivo da família

Compartilhar no Facebook
Share on Twitter
Please reload

A reprodução de todo o conteúdo deste site é autorizada mediante indicação de fonte

Vitrine do Povo - CNPJ 33.306.787/0001-73