AGRONEGÓCIO EM DESTAQUE: Estiagem volta a atingir Palmitinho

Estamos se aproximando do novo ano, e como nos últimos dois, o que está preocupando principalmente os agricultores é novamente a estiagem. Pelo terceiro ano consecutivo, ela vem prejudicando muito as culturas.

As culturas mais afetadas são o milho e milho silagem, lavouras de soja implantadas e atrasando o plantio da soja de quem ainda não o realizou e o plantio de milho segunda safra para quem já realizou a colheita da silagem, também vem afetando muito o desenvolvimento das pastagens existentes para bovinos de leite e de corte, além de atrasar a implantação das pastagens anuais de verão.

Nos últimos 60 dias registramos aqui no município apenas 67 milímetros(mm) de chuva. No mês de novembro foram apenas 43 mm no mês todo, sendo que a média dos últimos 5 anos para o mês de novembro é de 176mm, ou seja, 76% abaixo da média. Em dezembro, até o dia 19, tivemos apenas a última chuva do dia 14, que foi desuniforme, onde alguns locais choveu 20 a 35mm, mas em algumas comunidades praticamente não choveu. Devido a esta estiagem, nos últimos 20 dias, intensificou-se a realização de seguro agrícola em lavouras de milho que foram bastante afetadas por esta falta de chuvas, só na Emater já ultrapassamos os 120 pedidos de Proagro.

Na cultura do milho, temos algumas lavouras implantadas do cedo, primeira semana de agosto que vão ter ainda boas produtividades, mas não é o caso da maioria, que implantou o milho no período de final de agosto e setembro. Muitos produtores atrasaram este plantio muitas vezes pra aproveitar a pastagem para os bovinos e acabaram tendo perdas bem significativas, nestes cultivos de milho implantados mais do tarde identificamos na maioria delas perdas superiores a 60 %.

Uma importante observação sobre o seguro é que o mesmo é uma forma de amenizar as perdas, mas principalmente para os produtores de leite estas perdas se estendem para todo o ano seguinte, devido a baixa qualidade da silagem estocada na propriedade e também sabemos que temos ainda alguns produtores que plantam sem o seguro, mas isso vem diminuindo. Neste ano aumentou em mais de 30% a procura por custeio de lavoura, os agricultores estão mais precavidos ainda mais com o aumento do custo alto para se implantar uma lavoura, seja de milho ou soja. O produtor está trabalhando no limite e não pode correr o risco de perder sua safra sem a garantia do seguro.

Esperamos que 2022 seja um ano muito melhor, repleto de felicidade, saúde e paz! Feliz natal e um próspero ano novo a todos...