AGRONEGÓCIO EM DESTAQUE: Plano Safra 2021/2022 e suas mudanças

No último dia 22 de junho foi lançado o Plano Safra 2021/2022. Esse é um marco para um novo ano agrícola que se inicia.


Nesta edição o Plano Safra traz algumas mudanças e hoje vou escrever um pouco mais sobre o anúncio e também algumas orientações aos agricultores que pretendem realizar custeio de suas lavouras e investimentos em suas propriedades.


A boa notícia é que o novo Plano Safra contará com R$ 251,22 bilhões para apoiar a produção agropecuária nacional, um aumento de 6,3% ou R$ 14,9 bilhões a mais em relação ao plano anterior. Os financiamentos poderão ser contratados de 1º de julho de 2021 a 30 de junho de 2022. O limite de renda bruta anual para obtenção de DAP aumentou de 415 mil, para 500 mil reais. Os juros para custeio passou de 2,75% para 3% ao ano, para custeio de milho acima de 20 mil reais o juro é de 4,5%.a.a e Pronaf mais alimentos varia de 3% a 4,5% a.a.


Conforme a finalidade do investimento, os limites de custeio por ano, por CPF, é de 250 mil reais e investimento de 400 mil. Outra mudança é no valor referente a construção ou reforma de moradias rurais que passou de 50 para 60 mil reais com prazo de 10 anos e com juros de 4,5% a.a. Para os produtores que irão acessar o crédito para custeio de suas lavouras de grãos e demais culturas, o primeiro é trazer a documentação necessária para realização do custeio: CPF, RG, Escritura, CAR- Cadastro Ambiental Rural. Importante o produtor já possuir os orçamentos dos insumos que irá adquirir para a lavoura como: semente, adubo, defensivos, para que o custeio seja feita da forma mais precisa possível, pois caso haja necessidade de acionar o seguro, o valor a ser pago será conforme descrito no projeto conforme cada item.


Analisando a nova proposta, destacamos que houve outra importante mudança relativa ao financiamento da mesma cultura em períodos diferentes e em áreas diferentes, por exemplo: produtor financia a safra de milho em uma área, e em outra possui fumo, feijão ou outra cultura e planta esta outra área com milho em dezembro, neste ano permite-se a realização de dois contratos de custeio para a mesma cultura e mesmo produtor, algo que não era permitido em anos anteriores. Vale ressaltar aos produtores a importância de realizar o custeio de suas lavouras, pois nos últimos dois anos enfrentamos duas graves estiagens e forte ataque de cigarrinhas, o que prejudicou muito as culturas, expondo a importância do seguro para precaver estas situações. Destacamos que com alta no custo de implantação das lavouras, principalmente de grãos, se faz ainda mais necessário assegurar a sua lavoura.


A Emater realizou no último ano mais de 350 projetos de custeio e investimento no município, e neste ano já iniciamos o encaminhamento das propostas. Para mais informações sobre o novo Plano Safra se coloco a disposição para estar tirando as dúvidas!


Até a próxima edição...