top of page

Ciclone pode trazer rajadas de vento de 120k/h ao RS


Casacos, cachecóis, toucas, mãos nos bolsos e cabelos esvoaçantes pela força do vento. O Centro de Porto Alegre, desde o início da manhã desta segunda, foi um exemplo de como as pessoas tentaram se proteger das rajadas que beiraram os 35 km/h em boa parte da Região Metropolitana. Segundo especialistas, são sinais que prenunciam o ciclone que atingirá Rio Grande do Sul e Santa Catarina entre terça e quarta. A MetSul Meteorologia alerta para um fenômeno climático que deverá ter a força de um furacão.


Rajadas de vento, consideradas extremamente fortes e mesmo destrutivas, poderão ter velocidade acima de 100 km/h em diversas localidades e superiores a 120 km/h em parte do Leste gaúcho. A região litorânea deverá ser a mais afetada, nos dois estados. Conforme a MetSul, o episódio que começa essa semana é potencialmente um dos mais graves da história recente do Estado.


“É uma situação atípica, anômala e bizarra, até para nós que trabalhamos há décadas com previsão do tempo”, pontuou a meteorologista Estael Sias. Segundo ela, trata-se de um ciclone que ocorre em um período de frio, mas com características tropicais em sua estrutura. “O ciclone virá com uma pressão atmosférica muito baixa. Há um consenso de que o fenômeno é híbrido, subtropical”, completou Estael.


Quase 50 municípios do Rio Grande do Sul estão na potencial rota do ciclone subtropical que atinge o território gaúcho a partir desta terça-feira, segundo boletim meteorológico da MetSul. Apesar de ainda possuir trajetória imprecisa, o que é comum em situações de fenômenos climatológicos extremos, o cenário já é de alerta máximo no Estado.


Segundo projeções divulgadas pela MetSul, o ciclone deve ingressar pelo Sul gaúcho, intensificando a velocidade do vento ao longo da tarde e noite de terça, primeiramente pela região extremo Sul e depois para áreas mais ao Sul da Lagoa dos Patos.


Na sequência, durante a noite, o campo de vento extremamente forte vai se mover pela Lagoa dos Patos e pelo litoral até áreas mais ao Sul do Litoral Norte. Amanhã, o vento sopra forte na Serra e atinge com mais força áreas entre o Norte da Lagoa dos Patos e o Litoral Norte. Por isso, em Porto Alegre, o pior do vento deve ocorrer ainda no final de terça e na madrugada de quarta.


Segundo a MetSul, Desde o furacão Catarina, de março de 2004, não se observava os modelos indicarem pressão tão extraordinariamente baixa junto à costa do RS, “sem precedentes na história recente de um ciclone tão profundo em meses frios do ano” como este.




Fonte: Correio do Povo

Foto: Metsul

Comments


bottom of page