DIA DAS MÃES: Duas vezes gêmeos


O mês de maio é conhecido como o mês das mães, uma data dedicada para comemorar um símbolo de amor, carinho e proteção. Ser mãe é sinônimo de amor incondicional, mas ser mãe de gêmeos por duas vezes é um privilégio que pouquíssimas mães possuem.


Um desses casos raros foi registrado em Palmitinho e o VP foi buscar a história da mãe Rosangela Lurdes Nascimento Hirt, 25 anos, mãe de gêmeos por duas oportunidades.


Rosangela conta que a primeira gravidez ocorreu de forma precoce quando ela tinha 15 anos de idade. - Quando fiquei sabendo que estava grávida de gêmeos já estava com 3 meses de gestação, confesso que me assustei pois era muito nova e pensava como ia ser, medos, receios, alegria, todos os sentimentos misturados. Mas com o tempo tudo foi se acertando e depois de acompanhar cada batida dos corações era uma emoção a mais, conta.


O grande dia foi 09 de julho de 2011, quando após cesariana nasceram os meninos Anderson Hirt de Quadros e Maicon Hirt de Quadros. Eles nasceram de forma prematura e ficaram um mês internados até adquirir peso suficiente, mas a alegria não estava completa e a segunda boa notícia ocorreu menos de 7 anos após quando uma ultrassonografia apontava que Rosangela estava novamente grávida de gêmeos, desta vez duas meninas. – Tomei um susto, fiquei quase em choque, começaram novamente as consultas periódicas, até que no 5º mês, ficamos sabendo que dessa vez seria então duas meninas! A alegria transbordou em meu coração, ficou cheio de amor, pois já tinha dois meninos e agora duas meninas, fiquei muito feliz, recorda a Mamãe Rosangela.

Conforme ela as meninas Stephany Hirt da Silva e Sophya Hirt da Silva, também nasceram após cesariana, por volta das duas horas da madrugada do dia 13 de janeiro de 2018. - Elas eram muito pequenas, precisavam ir para a incubadora, pois eram prematuras e tinham que respirar por oxigênio, 15 dias se passou, até nossas pequenas virem para casa, conta.


Hoje as meninas estão com 3 anos de idade e os meninos com 9. Ao ser perguntada sobre a importância de ser mãe, Rosangela se emociona ao falar do privilégio. – Então, pra eu ser mãe é tempo, seu pensamento, dar todo o seu coração, seu amor, para levar seus filhos adiante e ensiná-los a viver. Significa ter uma razão de viver para o resto da vida; querer aproveitar e viver ao máximo cada momento. Eu amo ser mãe, destaca Rosangela.


Foto: Arquivo/Família