ESPAÇO ABERTO: A importância da segunda dose

O portal G1 publicou no dia 29 de junho que até aquela data, conforme levantamento das secretarias estaduais de Saúde, 72.534.656 pessoas tomaram a primeira dose e 25.556.540 a segunda, 431.106 a dose única, num total de mais de 98,5 milhões de doses aplicadas. Com isso mais de 12% dos brasileiros tomaram as duas doses ou a dose única de vacinas contra a Covid, confirmando a imunização completa.


Com exceção da Janssen, que completa a imunização com apenas uma dose, tomar a segunda vacina é fundamental. Além de aumentar a proteção da pessoa vacinada, a picada de reforço ajuda a ampliar o prazo de imunidade contra a Covid-19. Quem não completa o esquema vacinal está mais sujeito à infecção do coronavírus e acaba prejudicando o controle da disseminação do vírus, a chamada "imunidade de rebanho".


Outro agravante da não aplicação da segunda dose é que este indivíduo poderá estar vulnerável ao desenvolvimento de variantes mais agressivas da Covid-19, que estão surgindo em todas as partes do mundo. Por exemplo, em um corpo que completou o ciclo vacinal, qualquer variante por mais agressiva que seja, teoricamente, teria mais dificuldade de sobreviver e desenvolver a doença. Nas pessoas que tomaram apenas uma dose, qualquer mutação do vírus pode causar uma doença bem mais agressiva e letal.


Portanto, por mais que a primeira dose tenha provocado reações no seu corpo, não deixe de tomar à segunda. Isso não é só por você, mas por toda a população, pois como já dito acima, o vírus continuará agindo cada vez mais resistente em quem não está completamente imunizado.


Um grande abraço a todos e obrigado pela leitura.