"Governo tem que assumir a responsabilidade de comprar vacina para todos brasileiros", diz Lula


O ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva recebeu a primeira dose da vacina contra a covid-19 na manhã deste sábado (13), em São Bernardo do Campo. Lula tem 75 anos, está na faixa etária de imunização no Estado de São Paulo, e foi vacinado com o imunizante Coronavac, produzido no Brasil pelo Instituto Butantã em parceria com a empresa chinesa Sinovac. O ex-presidente estava acompanhado do médico e deputado federal Alexandre Padilha, ex-ministro da Saúde nos governos de Lula e de Dilma Rouseff.


“Eu pensei que jamais ia ficar dentro de casa e estou dentro de casa há um ano. É possível. Então, é o seguinte, se você não gosta de você, goste da sua mãe, do seu pai, do seu filho, do seu neto. Goste da sua tia, dos seus amigos, porque se você pegou, você vai passar para eles. Então, nem pegue e nem passe, esse é o lema que o Brasil precisa. E por isso a vacina é imprescindível e o governo federal tem que assumir a responsabilidade de comprar vacina para todo mundo e distribuir para que todos os brasileiros tenham direito a uma vacina contra o coronavírus”, disse Lula, num vídeo gravado dentro do carro logo após receber a vacina.


Além de incentivar as pessoas a se imunizarem, o ex-presidente também criticou a postura negacionista do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante toda a crise causada pela pandemia. “Espero que essa vacina dê o resultado que eu sonho e que o povo brasileiro sonha, porque tudo que o brasileiro quer é tomar uma vacina para se ver livre desse monstro chamado coronavírus. E por isso, o presidente da República tem que parar de ser ignorante. O seu ministro da Saúde precisa parar de falar como se as pessoas fossem ignorantes nesse País. Eles têm que aprender a respeitar o sentimento do povo brasileiro e garantir vacina pra todo mundo.”


O ex-presidente ainda se dirigiu aos empresários brasileiros que são contra as medidas de restrição da atividade econômica como forma de reduzir o contágio no momento mais grave da crise sanitária no Brasil. “Acho que as empresas que querem que o trabalhador vá trabalhar, comprem vacina e deem vacina no seu povo, porque os empresários que fazem greve contra lockdown tem que assumir a responsabilidade. O que não pode é exigir que as pessoas vão trabalhar e não dê a pessoa a proteção necessária”, afirmou.


Lula foi diagnosticado com covid-19 em dezembro passado, durante viagem para Cuba. Chegou a ter broncopneumonia, mas não precisou ser internado e ficou em isolamento social na própria ilha.



Fonte: Sul21

Foto: Ricardo Stuckert