top of page

Hospital Santo Antônio deve recebe mais de R$ 2,7 milhões para ampliação e compra de equipamentos


O Hospital Santo Antônio de Tenente Portela receberá um investimento significativo de R$ 2.711.799,98 do Governo Estadual, destinado à conclusão de obras de ampliação e reforma do Centro Cirúrgico, bem como à aquisição de equipamentos para o Centro Cirúrgico Geral, Centro Cirúrgico Oftalmológico e laboratório.


Esses recursos representam um importante impulso para a infraestrutura de saúde do município, proporcionando melhorias nas instalações e equipamentos que beneficiarão diretamente os pacientes atendidos pelo SUS.


Além disso, o Hospitalar Pio XII em Seberi também será contemplado com um montante de R$ 745.062,28, que será direcionado para equipamentos destinados ao centro obstétrico, bloco cirúrgico e materno-infantil, fortalecendo ainda mais a capacidade de atendimento da região.


O investimento do governo do Estado no programa Assistir deve ter um aumento significativo em 2024, totalizando R$ 1 bilhão aplicados no programa. Criado em 2021 com o objetivo de fomentar ações e serviços de saúde nos hospitais contratualizados para prestação de serviços pelo SUS, o programa tem sido fundamental para fortalecer a infraestrutura e expandir os serviços oferecidos pelo sistema de saúde pública.


Após interlocução com a Secretaria Estadual de Saúde, novos serviços foram habilitados em alguns hospitais, ampliando os repasses estaduais do programa Assistir nessas instituições e garantindo um atendimento mais abrangente e eficaz à população. Esse investimento reforça o compromisso do governo estadual em promover o acesso à saúde de qualidade para todos os cidadãos do Rio Grande do Sul.


Superlotação

O Hospital Santo Antônio enfrenta uma crise sem precedentes devido à alta demanda de atendimentos, que levou a unidade à beira do colapso. Ao longo desta semana, tanto as enfermarias quanto as emergências da unidade de saúde ficaram completamente lotados, deixando o hospital sem condições de receber novos pacientes.


A situação é agravada pela combinação de uma pandemia de Dengue e um aumento significativo de casos de Covid-19, que têm crescido nas últimas semanas na região. Essa conjunção de fatores, somada ao já elevado volume de atendimento do hospital, resultou em semanas de intensa pressão sobre os recursos da instituição, culminando na escassez crítica de leitos.


Um dos principais desafios enfrentados pela unidade de saúde é o aumento no número de pacientes classificados como casos de emergência do tipo A e B, que idealmente deveriam ser atendidos pelos postos de saúde dos municípios. No entanto, o temor gerado pela presença da Dengue e da Covid-19 levou muitas pessoas a procurarem diretamente a emergência do hospital, contribuindo para a superlotação e o estrangulamento dos serviços.

 

 






 

Fonte: Jornal Província

Foto: Divulgação/HSA

Kommentare


bottom of page